O que são?

Arrefecimento por Evaporativos

A evaporação é um processo físico através do qual a água é transformada em vapor, aumentando os níveis de humidade do ar. Quando este processo ocorre sem que seja utilizada uma fonte de energia externa (transformação adiabática) o calor necessário para fazer evaporar a água é retirado do ar, que é então arrefecido.

De facto, para fazer evaporar 1kg de água são necessários 695W de energia. Na ausência de uma fonte de energia externa, a água absorverá essa energia do ambiente, do ar que a rodeia.

Em linhas gerais, pode afirmar-se que a evaporação da água converte o calor sensível do ar (temperatura) em calor latente (humidade). Como resultado, o ambiente é arrefecido e humidificado ao mesmo tempo. Este fenómeno é natural, ecológico e económico, necessitando de pouca energia relativamente a outros processos de arrefecimento alternativos.

Ideais para Portugal

O sucesso da aplicação dos sistemas de arrefecimento evaporativo (ou adiabático) está dependente das condições em que estes equipamentos operam. Os resultados mais satisfatórios podem ser observados nos locais com temperaturas altas e níveis de humidade reduzidos. Já nos locais onde os níveis de humidade são elevados a utilização destes sistemas é menos eficiente.

No caso específico de Portugal, verificam-se níveis de humidade baixos no verão em todo o território nacional. Isto torna estes sistemas extremamente eficazes em qualquer parte do país e nos mais variados sectores de actividade.

Uma aposta Segura e Económica

O arrefecimento evaporativo pode ser facilmente integrado em qualquer edifício e até juntamente com outros sistemas de climatização existentes, oferecendo claras vantagens:

– Menor investimento inicial;

– Menor consumo de energia;

– Maior independência energética;

– Ausência de fluidos frigorigéneos / gases fluorados e afins;

– Menores emissões de CO2;

– Menores custos de manutenção;

– Imagem pública mais positiva e amiga do ambiente.

Menor temperatura, maior Produtividade

O controlo da temperatura e humidade de um determinado local tem por objetivo manter o ambiente saudável e confortável para quem o frequenta. Um clima confortável é aquele em que as temperaturas rondam os 20ºC de Inverno e os 26ºC de Verão, com níveis de humidade relativa em torno de 50/60%.

Diversos estudos demonstraram que quando são atingidos 33ºC de temperatura os níveis de eficiência no trabalho decrescem em mais de 50%. Está também confirmado que condições de temperatura precárias aumentam o número de acidentes de trabalho. Estas conclusões têm levado diversos governos a introduzirem normas no sentido de garantirem condições laborais mais seguras e saudáveis para os trabalhadores.

O controlo da temperatura é também fulcral nalguns locais que não são frequentados por pessoas. Neste particular destacam-se três sectores de actividade:

DRD - Arrefecimento de aviáriosPecuária: também os animais devem ser mantidos em condições controlados de temperatura, na medida em que isso terá impacto directo na sua produtividade. Isto é especialmente verdade nos aviários ou em explorações de produção de carne e afins.

Indústria alimentar: nomeadamente para o pré-arrefecimento dos produtos antes de estes serem colocados em salas refrigeradas ou nos camiões de transporte, reduzindo assim as cargas térmicas;

Centros de distribuição: inúmeros bens exigem condições de armazenamento específicas no que concerne às condições de temperatura e humidade. Desse modo, é fundamental garantir essas especificações até o produto ser entregue ao cliente final;

Data Centers: uma operação adequada do hardware somente é garantida quando as temperaturas são mantidas dentro de limites aceitáveis. Demasiado calor pode causar o aquecimento excessivo dos circuitos elétricos e, consequentemente, o seu colapso;

Conheça mais sobre estes sistemas nas páginas seguintes ou entre em contacto connosco para mais informações.